domingo, 17 de maio de 2015

Senta aqui, vamos conversar - Menstruação

Postado por Isabelle Tozzo Fernandes às 19:52


Oi! Como vocês estão?
Depois de um longo tempo sem posts decidi vir aqui conversar um pouco com vocês, e dessa vez vamos falar sobre menstruação. (Até o final do post espero fazer você não torcer mais o nariz sobre o assunto).
Recentemente, Rupi Kaur, uma artista paquistanesa teve sua foto deletada do instagram por mostrar sangue menstrual. Assim, sem motivo aparente. Porque, afinal, sangue não é motivo, certo? Muito menos o menstrual.
Foto deletada do instagram de Rupi
Conforme nós meninas vamos crescendo, vamos aprendendo que menstruação é motivo de vergonha. Para trocar o absorvente no colégio tem que tirar o pacotinho da mochila (parecendo uma traficante)  e esconder na blusa até chegar ao banheiro. E quando vaza em público então? Tem que pedir pras amigas buscarem papel no banheiro e bem discretamente limpar a cadeira. Não se diz "estou menstruada" e sim "naqueles dias".
tshirt_menstruacao
Camiseta que a marca American Apparel lançou em 2013
Isso tudo, por motivo cultural enraizado, nossa sociedade nos obriga a não gostar do nosso próprio sangue. O mesmo sangue que faz parte da gravidez, que ajuda a originar um filho.
Todo esse ódio, nojo ou seja lá o que for existe há muito tempo (é só ler a Bíblia pra vocês terem uma ideia) e infelizmente todo esse preconceito e mito em relação a menstruação atravessou toda a antiguidade e ainda existe nos dias atuais. Antes a mulher era considerada impura e deveria ficar isolada enquanto estivesse menstruada, mas hoje, com o avanço da medicina temos o conhecimento de que a menstruação nada mais é que um período de nosso corpo e justamente por esse conhecimento vivemos normalmente menstruadas; porém o preconceito permaneceu e é necessário que esse pensamento seja mudado.
Pequenas mudanças como a não-censura à fotos como as de Rupi são bons começos para desmistificar tudo isso.
Em algumas sociedades o sangue menstrual é visto como algo sagrado e de grande importância. Acreditam que, para a mulher, o contato com o sangue torna a vida mais saudável. Como se esse sangue fosse uma forma de se conectar à natureza.


Por fim, deixo aqui pra vocês um trechinho da mensagem que Rupi escreveu sobre o ocorrido:

“eu sangro todos os meses para fazer a humanidade possível. meu útero é a casa do divino. uma fonte de vida para a nossa espécie. seja eu disposta a criá-la ou não. mas poucas são as vezes que é visto assim. nas civilizações antigas esse sangue era considerado sagrado e em algumas ainda é."

Que nossa sociedade seja cada vez menos preconceituosa, até mesmo com gestos tão pequenos como esse.

OBS: Só pra avisar vocês que ao tentar ler a entrevista da criadora da estampa da camiseta da American (pesquisem sobre isso!) eu fui "barrada" pois o site dizia conter conteúdo considerado indecente. É um absurdo mesmo.

0 comentários:

 

Surreal Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos