quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Senta aqui, vamos conversar - Legalização do aborto

Postado por Isabelle Tozzo Fernandes às 22:27

Uma das coisas que vem sendo discutidas com grande força nos últimos dias é a legalização do aborto, e o motivo dessa repercussão toda são as eleições. Junto com uma parcela razoável de candidatos com essa proposta veio uma chuva de pessoas querendo mostrar toda a sua "humanidade" diante de algo "tão absurdo".
Antes de começar a discutir o título do post, quero deixar bem claro que ser a favor da legalização do aborto é totalmente diferente de ser a favor do aborto. Isso significa que por eu ser a favor da legalização, não significa que eu vá abortar um dia. Da mesma forma que já vi grávidas muito felizes com o seu filho, mas que são a favor da causa. A questão é não interferir na liberdade de escolha do outro.
Quando eu era mais nova eu pensava que se uma jovem não quisesse seguir com a gravidez, era direito dela abortar. Mas a minha família e a sociedade diziam que isso era errado, era tirar a vida de alguém, o mesmo de matar.
Conforme eu fui crescendo, fui conhecendo pessoas que pensam como eu e comecei a me sentir menos mal por pensar assim, e por isso hoje eu resolvi falar sobre isso aqui.
Pra começo de conversa, por favor, não vamos ser ignorantes e julgar uma jovem que ficou grávida cedo de mais. Todo método contraceptivo não é 100%  eficaz. Desde a camisinha até o anticoncepcional que você, menina, toma.
Agora vamos voltar para o que está acontecendo atualmente.
Nós ligamos a tv e o que se vê são jovens morrendo devido a falha no processo do aborto.
Quando uma jovem quer abortar, ela faz de tudo para conseguir. Para chegar ao ponto de querer o aborto, essa jovem deve estar no máximo desespero.
Mas é aí onde entra as opiniões.
"Por que não coloca para adoção?". Um lar de crianças para adoção são lotadíssimos, poucas pessoas querem adotar, a dor de crescer em um lar para, na maioria das vezes, não ser adotado é enorme.
Já ouvi muitas histórias de pessoas que trabalham em centros adotivos e as coisas não são tão simples. Sinceramente, quantas pessoas você conhece que quer adotar? E quantas querem adotar os que já estão grandinhos? E se essa criança resolve procurar os pais quando crescer?
Outra opinião que eu escuto muito é a que o aborto irá se tornar um método contraceptivo."Engravidou e aborta". Essa é a especulação mais absurda. É claro que ninguém conseguirá fazer o aborto assim tão fácil, e é justamente por isso que o aborto deve ser legalizado.
Um hospital ou uma clínica segura irá realizar o aborto, o que já diminui os riscos de morte da mulher. Com certeza a jovem terá acompanhamento psicológico e psíquico para isso, podendo até perceber que o seu caso dispensa o aborto; coisa que não acontece atualmente em clínicas clandestinas. Um caso ótimo para se comparar são as cirurgias de mudança de sexo.
Imagine você mulher que quer se tornar homem (ou vice-versa) e vai ao hospital recorrer a cirurgia. NUNCA que você vai conseguir a cirurgia naquele momento. Antes você vai ter que passar por acompanhamento com psicólogos que irão analisar se o seu caso é realmente necessário, e no fim pode ser que você perceba que não é realmente o que você quer.
Assim será com o aborto, com acompanhamento psicológico diminui muito os riscos de depressão da mulher.
Nos países onde o aborto é legalizado, os índices de aborto são muito pequenos. Provavelmente são menores dos que os do Brasil. E isso se deve justamente ao acompanhamento psicológico.
Outra coisa que eu acho que fariam é a restrição de mês, e é aí que está incluso a questão mais importante: aborto é tirar uma vida?
A partir de que momento você acredita que existe vida? A partir da fecundação? Da formação do cérebro, dos órgãos? Do nascimento? Do momento em que a criança lembra de suas vivências?
Essa é questão mais complicada do aborto. Acredito que todo ser humano tenha direito à vida, e para isso não basta nascer e existir. Existir não é vida. Vida vinda do verbo viver é vida. Cuidado, atenção, saber educar, saúde, alimentação e muitos outros é o básico para que uma criança viva. Já pararam para pensar que o mundo está assim por falta de educação? Educação de casa, de família e com amor. Escola ensina conteúdo para o vestibular, a sua família é quem tem que te dar valores morais.
No fim de tudo isso, só queria dizer que é um absurdo uma mulher ser obrigada a carregar por 8/9 meses alguém que ela não pode cuidar. Alguém que ela sabe que não pode cuidar. Da mesma forma que é um absurdo um filho ser arrancado de uma mãe se ela não quiser. Uma mulher é dona do seu próprio corpo, e dele ela faz o que bem entende.
As pessoas precisam deixar de interferir na liberdade do outro. Quando isso acontecer, o mundo será um lugar muito melhor para se viver. E viver mesmo.

0 comentários:

 

Surreal Copyright © 2012 Design by Antonia Sundrani Vinte e poucos